O ritmo é marcado pela tensão do virar a página: há uma vontade do leitor entre querer avançar na história e também se prender à reflexão. É assim que a escritora e ilustradora chilena Paloma Valdivia explica o que chama de “livro contemplativo”, nessa definição que pegou emprestada da editora Verónica Uribe. Essa tensão é o que busca gerar em seus livros e da qual tratará na oficina Livros para leitores contemplativos, realizada durante o Seminário Internacional Arte, Palavra e Leitura na Primeira Infância, a partir de amanhã (13/3), no Sesc Pinheiros, em São Paulo.

Confira a matéria completa clicando aqui.